+55 11 2157-8329 | +55 11 2157-8124

News

Como a fisioterapia ortopédica pode evitar uma cirurgia


Autor: Daniel Padilha - Coordenador Clínico / CREFITO: 3/235810-F

Publicada em : 08/10/2018

Os problemas ortopédicos são uma das principais causas de afastamento do trabalho, muitas vezes até por tempo indeterminado. Possuem diversas etiologias e podem ser ocasionados em determinadas situações como acidentes de trabalho, um escorregão enquanto se limpa a casa, ou até mesmo durante uma partida de futebol com os amigos.

Independente da situação que levou você a se acidentar, e a depender do nível de lesão, o primeiro pensamento que passa pela nossa cabeça é que teremos que passar por uma cirurgia. Porém não é bem assim que as coisas funcionam, é preciso analisar com cuidado o tipo de trauma ortopédico sofrido.

A cirurgia só é recomendada em casos muito extremos, como por exemplo, quando há a ruptura completa de algum tendão, ligamento ou da fibra muscular, comprometendo diretamente na realização de tarefas de vida diária, até mesmo as mais simples, prejudicando movimento essenciais do corpo.

Outros casos em que a cirurgia é recomendada é para atletas, por exemplo, onde mesmo determinados tipos de lesões parciais em músculos, tendões ou ligamentos, será necessária tal intervenção.

No caso dos praticantes de atividade esportiva intensa, muitas vezes o estresse na articulação ou músculo atingido que é gerado pelo exercício certamente irá interferir de forma negativa em sua recuperação, podendo levar a conseqüências mais graves, além da perda de performance.

Salvo os casos citados acima, o mais recomendado na maioria dos casos de traumas ortopédicos é a realização de um tratamento conservador, e a fisioterapia ortopédica pode evitar uma cirurgia.

 

O que é um tratamento conservador?

 

O tratamento conservador pode ser definido como medidas ou formas de tratamento não invasivas, ou seja, que não requerem medidas cirúrgicas, a fim de restabelecer determinada função motora perdida ou diminuída.

Sendo assim, neste caso podemos afirmar que a fisioterapia ortopédica é com toda a certeza um tipo de tratamento conservador, pois utiliza, por exemplo, determinadas técnicas manuais de relaxamento muscular, além de recursos eletrotermofototerapêuticos, técnicas e meios para promover analgesia, alongamento, fortalecimento, entre outros, permitindo que o indivíduo possa voltar a realizar as suas atividades de vida diária normalmente.

A intervenção cirúrgica sempre deve ser a última opção de recurso a ser utilizada, e por este motivo, normalmente sempre se opta primeiro pelo tratamento conservador com o objetivo de eliminar, ou de pelo menos retardar a necessidade de uma cirurgia.

 

Como a fisioterapia ortopédica pode intervir de forma a evitar uma cirurgia?

 

Como já foi explicado anteriormente, a fisioterapia ortopédica conta com diversos recursos que irão contribuir para seu retorno às atividades normais do dia a dia, sem a utilização de técnicas invasivas para restabelecer a normalidade das atividades do paciente.

Através da fisioterapia ortopédica, podemos obter resultados satisfatórios com relação à diminuição da dor, atenuação do processo inflamatório, aumento da força muscular, propriocepção e equilíbrio. Tudo isso será extremamente favorável para permitir uma boa recuperação do paciente, sem que para isso haja a necessidade de o mesmo ter que passar por uma cirurgia.

Mesmo que a fisioterapia não consiga evitar uma cirurgia, como acontece em alguns casos, só o adiamento de tal intervenção já é um motivo louvável para considerar a fisioterapia ortopédica como uma das principais formas de tratamento no caso de traumas ortopédicos.

 

Com isto, além de a cirurgia só ser realizada quando realmente houver a necessidade, a chance de sucesso na recuperação aumentará em grandes proporções, uma vez que de certa forma o local ou articulação acometido já estará devidamente preparado da melhor forma para a intervenção.

 

Por que a cirurgia deve ser a última alternativa?

 

Uma cirurgia é um procedimento muito delicado, e que, por menor ou mais simples que ela seja, é algo que requer toda uma preparação pré-cirúgica, além de envolver diversos riscos à sua saúde, podendo ocorrer de algo não sair como esperado, interferindo diretamente no resultado final.

Fora isto, há também a questão do pós-cirúrgico, que até mesmo no caso de cirurgias menores, envolvem algumas limitações como um tempo de repouso mais prolongado e até mesmo imobilizações. Caso as recomendações do médico não sejam seguidas à risca pelo paciente, o resultado final da cirurgia também não lhe será satisfatório.

Vale lembrar que mesmo quando se opta pela cirurgia, o acompanhamento e tratamento com um fisioterapeuta ortopédico também se torna muito importante tanto na fase pré, como na fase pós-operatória, de forma a proporcionar uma recuperação e um retorno mais rápido à sua rotina.

 

Venha fazer um diagnóstico com nossa equipe de fisioterapeutas.

Agende aqui sua consulta ou ligue agora e fale com nossos atendentes

+55 11 2157-8329
+55 11 2157-8124
WhatsApp: +55 11 97426-4354

 

Referência Bibliográfica

 

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2017/03/18/interna_ciencia_saude,581745/fisioterapia-e-tao-eficiente-quanto-cirurgia-no-tratamento-de-inflamac.shtml

 

 


<- Voltar