+55 11 2157-8329 | +55 11 2157-8124

News

O que é e como tratar condromalácia patelar


Autor: Physio Institute

Publicada em : 18/10/2018

A condromalácia patelar ou dor patelofemoral consiste em uma condição de desgaste na cartilagem do joelho que pode ocasionar dores, porém a boa notícia é que pode ser tratada. Esta cartilagem acometida por esta condição fica localizada em uma região do joelho chamada de côndilo femoral e patela.

O desgaste da cartilagem pode ocorrer devido ao excesso de pressão ou fricção entre a cartilagem da tróclea femoral e a cartilagem da patela. Os sintomas apresentados pelo paciente irão depender do nível de acometimento apresentado, o que leva a um diagnóstico muitas vezes mais tardio, uma vez que na maioria das vezes, a pessoa só passará a apresentar dores, por exemplo, quando a condromalácia patelar já tiver evoluído para um grau de lesão maior.

 

Quais são as causas mais comuns da condromalácia patelar?

Embora não haja um motivo definido que explique o surgimento desta condição, ao longo do tempo foram levantadas algumas hipóteses que podem nos dizer quais são os possíveis fatores que podem fazer com que haja o surgimento da condromalácia patelar.

Uma das explicações é que essa condição é causada por uma sobrecarga articular quando os músculos do joelho, tornozelo e quadril estão fracos, que consequentemente leva à um maior estresse articular da patela e o fêmur. Os movimentos repetitivos em conjunto com a fraqueza muscular levam a lesão da cartilagem e aos sintomas de dor posteriormente.

Uma das explicações é que essa condição é causada por uma sobrecarga pelo excesso de movimentos repetitivos do joelho, por exemplo, e que aliados a fatores como fraqueza muscular, pancadas, impacto na corrida, subir e descer escadas com alta intensidade e outras condições secundárias podem levar ao acometimento da cartilagem.

Os fatores que podem também estar ligados ao aparecimento da condromalácia patelar são alguns traumas locais, excesso de peso, artrose e a execução de determinados exercícios físicos que exigem movimento do joelho de forma incorreta, no que diz respeito principalmente a posição adotada durante a execução dessas atividades.

 

Quais são os sinais e sintomas?

Como já foi dito anteriormente, os sinais e sintomas apresentados pelo paciente podem variar de pessoa para pessoa e pelo nível em que a lesão apresentada se encontra.

O sintoma mais comum relatado pelos pacientes é a dor na face anterior do joelho, que muitas vezes é agravada pela realização de determinados movimentos como descer escadas, sentar e levantar, saltar, corridas e realização de outras atividades físicas, ou até mesmo após permanecer sentado por um período de tempo um pouco maior. Porém, alguns pacientes, principalmente em estágios mais iniciais de condromalácia patelar, podem não apresentar dores.

Pode haver ainda outros sinais e sintomas como crepitação e a presença de derrame intra-articular, que é a presença de líquido dentro cavidade articular devido ao processo inflamatório que é instalado naquele local.

 

 

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico será feito através dos sinais e sintomas apresentados pelo paciente e dos achados clínicos durante os testes clínicos, realizados pelo próprio médico ou pelo fisioterapeuta ou médico especialista, e ainda por meio de exames de imagem.

Os exames de imagem podem auxiliar no diagnóstico detalhado com relação ao grau de acometimento, mas muitas vezes os exames clínicos em conjunto com o histórico são suficientes para detectar a lesão e já indicar o melhor tratamento.

Os exames de imagem, como o raio-X ou a ressonância magnética, serão usados ainda para que o médico possa definir qual é o grau de lesão e comprometimento em que aquela região do joelho se encontra.

 

 

Formas de tratamento

As formas de tratamento para a condromalácia patelar também podem variar de acordo com o grau de acometimento da articulação. Sendo assim, o primeiro passo é realizar uma consulta médica, fazer os exames necessários e a partir daí aguardar o parecer e as conclusões finais do médico sobre o seu caso.

A condromalácia patelar ou dor patelofemoral é um dos temas mais estudados e seu tratamento está cada mais concretizado no meio científico.

Com o tratamento adequado, os sintomas podem diminuir, sem que tenha a necessidade de procedimentos cirúrgicos.

Uma vez que a cartilagem é uma estrutura praticamente sem irrigação sanguínea, o que faz com ela não consiga se regenerar. Porém, com o tratamento adequado, as dores tendem a diminuir bastante.

Existem 3 tipos de tratamento que podem ser indicados esta condição. São eles:

O tratamento não cirúrgico é bem descrito na literatura e possui uma alta taxa de sucesso na redução dos sintomas. O tratamento não cirúrgico consiste em:

 

·         Diminuição do processo inflamatório:  Por meio de recursos físicos anti-inflamatórios utilizados pelo fisioterapeuta, como o Laser de baixa intensidade e Ultrassom Terapêutico. O tratamento medicamentoso orientado pelo médico também pode auxiliar nessa fase.

 

·         Fortalecimento muscular: Após a redução dos sintomas, o fisioterapeuta irá traçar um plano terapêutico com exercícios específicos para o fortalecimento dos músculos do joelho e dos estabilizadores de quadril e joelhos. É nessa etapa em que combatemos a causa do problema inicial de fraqueza muscular.

 

·         Ganho de mobilidade:  A mobilidade de quadril, joelho e tornozelo influencia na mecânica dos membros inferiores durante as atividades de vida e esportiva. Uma boa mobilidade dessas articulações promove uma melhor mecânica minimizando as sobrecargas nas articulações.

 

·         Exercícios específicos para o esporte: Quando o paciente é praticante de atividade esportiva, ao final do tratamento quando os sintomas já são mínimos, o fisioterapeuta irá trabalhar com o paciente exercícios que simulam a atividade praticada, além de orientar quanto aos movimentos. Na corrida por exemplo, incluímos exercícios educativos de absorção de carga e de controle de quadril e joelho durante movimentos realizados com uma perna.

 

·         Tratamento fisioterapêutico: o tratamento fisioterapêutico é o mais indicado para a condromalácia patelar. Nele, serão realizadas medidas efetivas para promover a diminuição da dor, atenuar o processo inflamatório do local, além de promover alongamento e fortalecimento adequados dos músculos que fazem parte e dão a sustentação necessáriaàa articulação.

Além disso, o fisioterapeuta irá orientá-lo quanto a intervenções e adaptações que podem ser feitas no seu dia a dia, a fim de diminuir ainda mais a dor e até mesmo aumentar a eficiência e evolução do tratamento, repercutindo diretamente na qualidade de vida do paciente.

 

·         Tratamento medicamentoso: O tratamento medicamentoso consiste na prescrição de alguns medicamentos a fim de diminuir a dor sentida pelo paciente. Na maioria das vezes são receitados anti-inflamatórios e analgésicos.

 

·         Tratamento cirúrgico: A cirurgia é uma das, senão, a última opção de tratamento. É realizada nos casos mais graves, onde os demais tratamentos sugeridos não deram resultados suficientes.

Neste caso, por exemplo, pode ser realizada a retirada parcial das partes danificadas da cartilagem.

 

Marque sua consulta aqui

 

Referência Bibliográfica:

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/condromalacia-patelar

https://hospitalsiriolibanes.org.br/imprensa/noticias/Paginas/Condromal%C3%A1cia-patelar-seis-dicas-para-acabar-com-as-dores-no-joelho.aspx

 

Powers CM, Witvrouw E, Davis IS, et al. Evidence-based framework for a pathomechanical model of patellofemoral pain: 2017 patellofemoral pain consensus statement from the 4th International Patellofemoral Pain Research Retreat, Manchester, UK: part 3. Br J Sports Med 2017;51:1713-1723.

 

Powers CM, Bolgla LA, Callaghan MJ, Collins N, Sheehan FT. Patellofemoral

pain: proximal, distal, and local factors, 2nd International Research Retreat. J

Orthop Sports Phys Ther. 2012 Jun;42(6):A1-54.


<- Voltar